quarta-feira, 9 de julho de 2014

UMA VIDA SOBRE OS PROPÓSITOS DE DEUS.



Segundo a bíblia Jó foi um homem justo diante dos olhos de Deus, um homem a quem Deus se orgulhava, mas ah uma curiosidade, o que Deus fez com Jó foi uma provação para ver até onde iria a sua fé? Mesmo Ele tendo afirmado para satanás que o seu servo era fiel.
E todo o seu sofrimento aconteceu sem ele saber qual era o motivo.
Apenas Deus e satanás fizeram um acordo para testar a fé daquele servo que era visto por Deus como fiel.
Jó era um homem rico e fiel a Deus, e satanás aparecendo diante do Senhor, naquele momento Deus o apresenta  ao seu maior inimigo. Então Deus diz a Satanás:  viste o meu servo Jó, homem justo e temente a Deus, e Deus ainda acrescenta que não existe nenhum outro homem semelhante á ele, assim Deus fez  diante de satanás todos os elogios ao seu servo Jó .
Mas satanás disse ao Senhor que Jó era fiel porque Deus lhe deu todas as riquezas, e prosperidades. Foi  ai que Jó se deu mal nessa prova em que Deus permite que satanás destrua todos os seus bens e filhos, e  até mesmo seus empregados. E para completar a desgraça de Jó, Deus permite que satanás coloque uma enfermidade nele, (o seu servo favorito).
Já cansado de sofrer e sem saber qual era o motivo, no capitulo 10 Jó mostra desanimo. Olhando como pecador  que não conhece á palavra eu diria que Jó tinha toda a razão.
Um pai colocar o seu filho para sofrer somente para provar ao seu maior inimigo que o filho é fiel a Ele. Isso é um tipo de atitude de Deus que poucos pecadores vão entender, por que castigar alguém que é considerado justo, ser castigado pelo mesmo que o elogiou, isso é; o próprio Deus.
Bem a história de Jesus também foi assim, Deus provou a satanás que seu filho é fiel a Ele, obedecendo as suas ordens, dando a sua vida por nós pecadores.
Abraão também fez o mesmo ofereceu o seu filho em sacrifício a pedido do próprio Deus para provar sua fidelidade a Ele, mas Deus não permitiu o sacrifício.
Na verdade Deus não duvidava da Fe de Abraão, nem da Fe de Jó, e  muito menos da obediência de seu Filho Jesus, mas satanás sim.
Satanás precisava ver para crer, porque é ele quem coloca duvidas no coração do pecador na hora de reconhecer a Deus como Senhor.
Essas histórias de Abraão, de Jó, e outros mais são histórias de pessoas especiais, pessoas que nunca mais vão existir na face da terra.
Nos dias de hoje não tem como Deus provar a satanás que alguém é fiel, se Ele fizer isso Ira passar vergonha.
Nos dias de hoje se ficamos doentes já dizemos: hoje estou com azar, se perdemos um simples carro até blasfemamos, falamos palavras que ofendem ao Senhor. Dizemos: ah parece que Deus se esqueceu de mim; quanto mais eu oro mais problemas aparecem.
Se alguém quiser ser fiel com Deus saiba que será a pessoa com mais problema na face da terra.
Todos os homens que serviram a Deus com sinceridade sofreram muito, eles não encontraram paz no mundo, não desfrutaram de mordomias, seus pés eram calejados de tanto caminhar para pregar o evangelho da salvação.
Ser fiel com Deus tem um preço muito alto a pagar, são dias de sofrimentos, de angustia, de humilhações que muitas vezes o evangelista, o missionário deseja a morte, porque satanás não se cansa de atormentar aos que se entregam na obra de Deus.
Apesar de todo o sofrimento desses homens e mulheres que dedicaram suas vidas a Deus, Ele  os recompensou.
Vamos ler o que Jó fala em seus momentos de aflição no Capitulo 10 : 1 - 22
“Já estou cansado de viver.
Vou abrir meu coração e contar a todos o meu sofrimento e a tristeza que enche a minha alma. Direi a Deus:  não me condene sem ao menos me dizer porque razão o Senhor me castiga. O Senhor acha justo que eu receba um castigo tão pesado enquanto os perversos sobem na vida e vivem felizes? Afinal eu também sou sua criatura! Por acaso o Senhor julga como o homem julga? Será que a sua vida é tão curta que tem de me condenar às pressas, por pecados que não cometi? O Senhor sabe muito bem que não sou culpado,  mas assim mesmo me castiga porque sabe que ninguém  pode me livrar de sua mão.
Com suas próprias mãos o Senhor me formou, com todos os cuidados, e agora tenta me destruir. Lembre-se que sou feito de barro. Por que, agora quer me reduzir ao pó? O Senhor já me derramou como se eu fosse leite e já me coalhou como queijo. O Senhor me deu uma estrutura de osso e cobriu a minha carne de pele. Na sua bondade, me deu vida e cuidou de mim com carinho. “Em todo esse tempo, havia um propósito secreto em seu coração; mas agora, eu sei bem qual é esse propósito.
O Senhor me observa de perto para me castigar, sem perdão, ao menor pecado. Sendo pecador, não tenho esperança de escapar, e se eu fosse justo, isso não me ajudaria em nada.  Estou coberto de vergonha e frustração. Se tento afirmar minha inocência o Senhor me persegue com se eu fosse um leão feroz e me castiga com um poder que não posso explicar.
O Senhor me acusa sem parar, vez após vez, e lança sobre mim a sua grande ira; sofro grandes males e dores. ”Por que me deixou então nascer?
Quem me dera ter morrido antes de nascer! Eu nunca teria conhecido os sofrimentos desta vida; teria ido direto do ventre da minha mãe para a sepultura. Veja como são poucos dias de vida que ainda tenho! Pare de me castigar e deixe-me em paz, ao menos para eu poder descansar um pouco antes de partir para o lugar de onde não voltarei o reino da escuridão e da morte, uma região escura, de trevas profundas, onde a própria luz é escura como a meia noite.
A história de Jó nos serve como exemplo, não importa a situação que estamos vivendo, por pior que sejam os nossos dias, nunca devemos blasfemar contra Deus, ou insistir em dizer que somos inocentes, que não cometemos nenhum pecado.
Quem somos nós para afirmar diante de Deus que somos inocentes, ou perguntá-lo: o que fiz de errado para merecer este tão grande castigo. Jó estava apontando Deus como injusto com ele, ele também estava determinado que Deus deveria tirar sua vida, porque o Senhor estava agindo com ele falsamente, armando ciladas para destruir sua vida.
O sofrimento de Jó foi tão grande que ele perdeu a esperança da ajuda de Deus, apesar de todo sofrimento ele não blasfemou contra o Senhor, mas em suas lamentações, quis provar a Deus que era um servo perfeito, sem culpa nenhuma.
Ser servo é estar abaixo de quem estamos servindo, se somos servos de Deus somente Ele é quem pode dizer se somos inocentes ou não, Não existe justificativa que saia da boca do pecador, a fim de corrigir a Deus dizendo a Ele que estamos sendo castigados injustamente.
Se eu no lugar de servo julgo o meu Senhor já não sou servo e sim senhor, não é o réu que dá a sentença e sim o juiz.
Do capitulo 33 em diante do livro de Jó Eliú o repreende dizendo que nunca devemos nos apresentar a Deus como se fossemos inocentes, justos sem culpa. Eu o aconselho a ler o restante dessa história.
No final Jó fora ricamente abençoado, suas bênçãos foram dobradas, porque o Senhor o amava muito, mas não interprete que o Senhor foi injusto com ele, Deus não é injusto com ninguém, nem com os que o desprezam.

Editado por José Simião.
09/07/2014