terça-feira, 10 de junho de 2014

O MOVER DAS ÀGUAS.


João 5: 1- 9
Depois Jesus voltou a Jerusalém para uma das festas Judaicas. Dentro da cidade, perto do portão das ovelhas, estava o tanque de betesda, rodeado por cinco terraços ou alpendres cobertos. Multidões de doentes- coxos, cegos, ou com membros paralíticos estavam no terraço (esperando por certo movimentos das águas, porque acreditavam que um anjo do Senhor vinha de vez em quando e agitava a água; e a primeira pessoa a descer no tanque depois disso, ficava curada de qualquer que fosse a enfermidade).
Mas para alcançar este milagre era preciso conseguir ser o primeiro a tocar nas águas que se moviam.
Mas, como um cego ou um paralitico poderia ser o primeiro a entrar nesse tanque milagroso.
Para quem estava acompanhado era quase possível. Porque grande era a multidão de enfermos que ali estavam, e muitos já estavam desenganados pelos médicos da época.
Imaginem o tumulto que se formava quando essas águas se moviam brigas e bate bocas.
Talvez muitos daqueles que ali estavam até se machucavam na hora da correria.
Um dos homens que se achava ali estava doente á 38 anos. Quando Jesus viu este homem e soube há quanto tempo estava doente, perguntou-lhe: você gostaria de ficar bom?”
“Eu não posso” disse o homem “porque não tenho ninguém para me ajudar a entrar no tanque depois do movimento da água. Quando estou procurando chegar lá, sempre entra outro na minha frente”.   Aquele homem não sabia que a sua vida iria mudar a partir daquele momento, ele não sabia que quem falava com ele era Jesus.
E Jesus lhe disse: “Levante-se, enrole a sua esteira e vá para casa!” Imediatamente o homem ficou curado! Ele enrolou a esteira e começou a caminhar!
Aquele homem dependia de alguém que o conduzisse até o tanque, mas ninguém se interessava em velo curado, talvez não tivesse nenhum parente ou amigos, porque naquela época as pessoas deficientes eram desprezadas pelos próprios parentes, viviam mais na rua do que dentro lar, muitos viviam de esmolas.
Quantas vezes nós estamos paralisados a espera de alguém para nos tirar do atoleiro, para nos conduzir até o tanque dos milagres espiritual, e Jesus está tão próximo e não o conhecemos, e Ele esta nos dizendo: você quer mudar de vida agora?
Então dizemos ao Senhor: eu tenho vontade de mudar a minha vida, mas não tenho forças para caminhar.
Aquele homem passou 38 anos da sua vida á espera de um milagre, vendo pessoas sendo curadas, mas ele mesmo não tomou nenhuma providência para que se aproximasse do tanque, não tentou se arrastar, dar inicio a aquilo que tanto desejava que era ser curado, não pediu a ninguém que o ajudasse, mas estava conformado em esperar. Há momentos em nossa vida que é preciso dar o primeiro passo.
O cristão não pode ficar esperando que o irmão o ajude a dar o primeiro passo, é preciso ter um objetivo, uma iniciativa, muitas vezes precisamos nos rastejar para alcançar a vitória.
Quantas vezes ouvimos e vemos pessoas vencendo na vida espiritual, e temos o desejo de ser vencedor também, mas não temos a coragem de caminhar até adquirir a vitória, simplesmente ficamos sentados esperando que alguém nos conduza até lá.
Talvez aquele homem não tivesse mais a esperança de ser curado, mas estava ali por estar acostumado a ver outros serem vitoriosos.
Este é o tipo de pessoa que alimenta um sonho até uma determinada data, mas por falta de atitude ele próprio interrompe aquilo que tanto sonhou. Por falta de iniciativa deixamos de conquistar o que seria melhor para o nosso futuro.
Existem pessoas que fazem qualquer coisa para conseguir um autografo de um artista, são capazes de fazer qualquer loucura por um autografo de famosos, mas eles conseguem; porque não medem esforços, são capazes até de apanhar dos seguranças passarem no meio de multidões até chegar diante do seu ídolo.  
Isso acontece no meio evangélico muitos querem trabalhar na obra e até elogiam a outros irmãos, mas só vão se alguém o conduzir.
Lembremo-nos do cego de Jericó  Lucas 18 : 35 - 43quando ele ouviu dizer que era Jesus quem estava passando ele começou a gritar, mas o povo tentava impedi-lo de se aproximar de Jesus, mas nada o impediu porque o desejo dele era ser curado. Imaginem um cego gritando saiam, saiam da frente girando a sua bengala empurrando a outros sem saber a direção que Jesus estava e dizendo Jesus Filho de Davi tenha misericórdia de mim.
O mais interessante é que o cego não esperou que ninguém o conduzisse a Jesus, seu desejo era tão grande que Jesus pediu que o trouxessem até Ele.
Não basta ter um sonho, mas é preciso caminhar, arrastar-se, gritar, tomar uma atitude.


Editado por José Simião.

10/06/2014