segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

FALAR DE JESUS É SINONIMO DE MORTE.


ATÉ QUE PONTO VOCÊ HONRARÁ O NOME DE JESUS?
Nós que vivemos em um país que nos da toda liberdade de pregar o evangelho se alguém nos pergunta, qual é a sua religião? Respondemos com orgulho: sou crente em Jesus, ora é simples porque o nosso país nos da a liberdade de seguir a qualquer seita religiosa somos livres.
Podemos pregar o verdadeiro evangelho da salvação de porta em porta, de cidade em cidades, dentro dos estádios de futebol nos ônibus, somos livres e não percebemos, não damos valor por termos este privilégio.
Até que ponto você honraria o nome de Jesus? É claro que aqui em nosso país todos vão dizer: eu morro por Jesus, é fácil porque somos livres.
Podemos construir quantos templos quisermos pregar a verdade ou mesmo a mentira ninguém vai nos espancar ou incendiar a casa do Senhor.
Posso dizer em alta voz sou um pastor ou um apóstolo, não preciso esconder minha identidade cristã porque as autoridades não nos perseguem. Pregar o evangelho no Brasil como diz o ditado popular é mamão com açúcar, é moleza.
É tão simples que posso ter meu site evangélico, ser destaque na mídia, pode pregar o evangelho pela TV, pelo radio e ninguém me persegue.
Posso gritar com todas as forças que os meus pulmões permitirem e dizer: “Jesus é o Senhor”.
Há uma grande diferença entre o crente perseguido e o crente livre, o crente livre vai e vem a qualquer hora em qualquer lugar, mas o servo de Deus que é perseguido pelas autoridades governamentais tem que ser crente de verdade, ele não pode ser covarde. Só a razão de ser um servo de Deus em um país dominado pelo islamismo já é prova suficiente de fidelidade a Jesus.
Será que nós que somos livres para falar de Jesus teríamos a coragem de colocar a nossa  vida a disposição da morte para falar do amor de Jesus?
Será que estaríamos dispostos a morrer por Ele, defender o Seu evangelho como defendemos aqui, ou faríamos como o apóstolo Pedro fez quando lhe perguntaram se ele era um dos seguidores de Jesus, ele disse-lhes não o conheço, nunca o vi antes.
Tal vez Pedro naquele momento de fraqueza tenha pensado se eu disser que sou um dos seus seguidores irão me prender, ou talvez matar-me, ou zombarem de mim, sabem por que Pedro disse que não conhecia a Jesus aquém ele tanto defendia, Pedro ainda não estava cheio do Espírito Santo, mas depois que Pedro e os demais apóstolos foram cheios do Espírito Santo então acabou – se o medo, agora eles falavam de Jesus com  toda ousadia não estavam preocupados se seriam presos ou mortos o que importava para eles era ganhar almas para Jesus.
Estes crentes que são mortos em países que proíbe a divulgação do evangelho   realmente estão sobre a orientação do Espírito Santo de Deus, são eles os verdadeiros heróis de Cristo cristãos que  não temem a morte  mas tem um compromisso com Jesus.
Quando falamos de Jesus pelo poder do Espírito Santo começamos a pregar o evangelho falando como simples pregador da palavra, de repente somos tomados pelo Espírito Santo e perdemos o controle de nossos lábios, já não somos nós que esta falando e sim o Espírito de Deus. Você não sente os seus lábios mexerem é algo fantástico é o poder de Deus agindo em nosso corpo.
É algo tão maravilhoso, e inexplicável que estudamos em casa antes de ir para o templo, e quando começamos a entregar a mensagem o Espírito Santo muda a mensagem de acordo com a necessidade do público.  
Somente com a vida guiada pelo Espírito Santo temos a capacidade de encarar as mais difíceis situações para defender o nome de Jesus.
Não é possível tomar almas que estão sobre o poder de satanás sem a unção do Espírito Santo da mesma forma não é possível levantar do banco da igreja e sair em busca de novas almas. Estevão foi morto a pedradas porque falou pelo Espírito Santo Atos 7 : 1-59. O apóstolo Pedro também cheio do Espírito Santo não deixou de falar a verdade a respeito de Jesus. Atos 4 : 8 -12 O crente que conhece o Espírito Santo só tem medo da morte da alma porque para ele tudo aqui é passageiro. O nosso corpo morre e acabou  mas a nossa alma se cair no inferno lá o sofrimento é eterno, e como uma enfermidade que vai comendo o nosso corpo aos pouco com uma dor terrível, os que caírem ali vão desejar morrer definitivamente, mas o sofrimento é eterno.
Ser crente cadeirante é uma coisa, ser ganhador de almas é um compromisso, é uma ordem dada pelo Filho de Deus Marcos 16 :15-18.
Para os crentes que vivem em países onde não pode divulgar o evangelho é uma missão de alto risco, mas para nós que vivemos em liberdade religiosa é um privilégio.
Nestes países os crentes sofrem humilhações como Jesus sofreu, são presos espancados, queimados vivos, passam fome.
Mas nós aqui comemos bem temos carrões mansões até jatinhos, para nós crentes brasileiros é um prazer ser um ministro de Deus.
Todos os dias podem ver na interne te pastores brigando, criticando, zombando do seu companheiro de ministério depois querem pregar sobre a paz, e o amor de Jesus Cristo, querem ensinar o que não praticam.
Tudo isso porque temos a liberdade de falar de Jesus, mas usam os veículos de comunicações para falar heresias e venderem os seus peixes.
Somente o Espírito Santo pode nos dar o entendimento e a sabedoria, o caminho do Reino do céu é cheio de buracos e espinhos, por isso poucos serão os vencedores.
Você diria que Jesus é o Senhor mesmo sabendo que vai morrer se disser? Ou agiria como Pedro em seu momento de fraqueza.
De uma coisa eu tenho certeza, se o crente estiver cheio do Espírito Santo ele falará com palavras de sabedoria e tudo será segundo a vontade de Deus.
Para o servo fiel morrer ou viver somente pertence a Deus.       

 Editado por José simião.
20/02/2012